E alguns exemplares vêm com uma nota de 100 reais enfiada dentro do livro.

 Talvez você não conheça Nelito Fernandes, Martha Mendonça, Marcelo Zorzanelli e Leo Lanna. Mas com certeza você conhece o portal de humor de maior sucesso no país, o Sensacionalista. Estes quatro nomes são os responsáveis por fazerem mais de 2 milhões de pessoas rirem com falsas notícias diariamente. Da política ao esporte, o jornal online faz questão de deixar claro que é totalmente isento de verdade.

A Belas-Letras conversou com a equipe do Sensacionalista sobre o lançamento do livro que reúne as melhores manchetes do portal e ainda traz conteúdo inédito. Confira!







Belas-Letras: Qual foi o momento em que a ideia de criar o Sensacionalista surgiu?

 Nelito Fernandes: Em 2009 eu fui demitido do programa no qual trabalhava na TV e me vi desempregado no humor. Resolvi, então, voltar à internet, onde já tinha feito um blog de sucesso no passado, o Eu Hein. Como era fã do The Onion, resolvi fazer uma “versão brasileira”. Já neste ano, os outros entraram.


Belas-Letras: A equipe do Sensacionalista é composta por quatro cabeças. Vocês discutem antes de postar uma manchete até que todos concordem, ou nem sempre existe um consenso?

Martha Mendonça: Sim, discutimos cada uma das manchetes todos os dias. Quem tem a ideia manda para o nosso grupo do WhatsApp - onde, além de nós quatro, estão incluídos mais dois colaboradores - e ali aprovamos, aperfeiçoamos ou deixamos a ideia de lado. Algumas são rapidamente aprovadas. Outras são lapidadas por bastante tempo. Mas nosso limite de discussão é o timing do acontecimento.
Marcelo Zorzanelli: Acho que o maior segredo da nossa receita é o respeito. Nunca alguém saiu contrariado de uma discussão no nosso grupo. 
Nelito Fernandes: Temos um sistema de votação das matérias e nada vai ao ar sem que pelo menos dois de nós gostemos. Não existe hierarquia forte porque num ambiente criativo isso é ruim. Temos um bordão também que é o “você acredita”, ao qual podemos recorrer sempre que alguém acredita muito na piada que não está fazendo muito sucesso entre os demais. Tem dado certo assim. Acho que acertamos mais do que erramos.
Leo Lanna: Geralmente já estamos tão sintonizados que a discussão não se faz necessária. Mas quando o assunto é um pouco mais polêmico ou delicado gastamos algum tempo debatendo a ideia antes de publicá-la. Acho que o cuidado e o carinho que temos com cada matéria que vai ao ar é responsável por boa parte do sucesso que conquistamos. 


Belas-Letras: Qual foi a reação mais bizarra que alguma celebridade teve em relação a alguma notícia postada por vocês?



Martha Mendonça: A reação definitivamente mais bizarra foi a do deputado Marco Feliciano, que nos processou.
Marcelo Zorzanelli: Tivemos algumas citações extrajudiciais sobre as quais não podemos falar. Mas os personagens – e, pasmem, veículos de comunicação – que tentam nos calar são exatamente aqueles que vocês podem imaginar. 
Nelito Fernandes: O processo, para mim, é o mais bizarro. Felizmente isso só aconteceu duas vezes nos sete anos de site.
Leo Lanna: O processo movido pelo deputado/pastor Marco Feliciano foi um dos momentos mais bizarros. O parlamentar pediu danos morais na Justiça por se sentir “altamente prejudicado, abalado moralmente e torturado conscientemente” por causa de uma piada que fizemos. Mas vê-lo perder nas duas instâncias foi também um dos momentos mais legais da história do site.


Belas-Letras: Os nossos pais sempre nos dizem que "se mentirmos muito, quando falarmos a verdade ninguém vai acreditar". Qual seria o recado para quem ainda não acredita que o livro realmente existe?


Martha Mendonça: A maioria está acreditando, mas estamos quase fazendo algum tipo de promessa para aqueles que ainda duvidam. 
Nelito Fernandes: Esse pessoal é engraçado. Acredita em político mas não acredita na gente.
Leo Lanna: O livro existe, sim. E alguns exemplares vêm com uma nota de 100 reais enfiada dentro do livro. Vale tentar a sorte.





Por Flávia Bergamin


Deixe um comentário