Olá divos :)
 Esse texto foi escrito por mim, então créditos são sempre bem vindos.

 A Viagem do Século- Capítulo 1

  Eu poderia dizer que hoje está um belo dia lá fora e eu ainda estou dormindo. Porém, teu não tenho certeza, tirando a parte de eu estar dormindo. Não é de espantar que eu esteja na cama depois das dez da manhã, afinal ontem, fiquei a tarde toda trabalhando com meu pai. Pode parecer loucura, mas sim, meu pai quer construir uma “máquina do tempo”. Eu sei, eu sei isso não é possível. Estudos comprovam que não se pode viajar no tempo. E alguém consegue fazê-lo mudar de ideia? 

 Tecnicamente falando seria mais fácil um dinossauro invadir a cidade, se jogar na piscina e me levar para passear do que isso acontecer. Enfim, vamos ao que interessa... Assim que levantei da cama, meu pai já estava de prontidão na porta esperando que eu fosse ajuda-lo. Troquei de roupa e peguei uma maçã. Eu não sabia disso ainda, mas essa maçã seria minha única “refeição” do dia. Desci as escadas correndo e antes de chegar ao porão onde estavam todos os equipamentos necessários para construir tudo, levei o maior tombo da história da terra: escorreguei em uma casca de banana no meio da escada. 

_Bom dia querida filha! –Disse meu pai, Charles. _... Oi pai! _O que houve? Você parece cansada... 

 Como assim eu pareço cansada? Será que ele não lembra de que me manteve presa nesse porão o dia inteirinho poder sem comer nada? _Ok, sem mais delongas vamos começar! –Começa meu pai. – Stacy pegue a minha caixa de ferramentas, por favor, e traga-as aqui. _Tudo bem! No lugar onde estava a caixa, encontrei um medalhão com um símbolo desenhado. Se parecia com isso |\/|/\|. Não faço a mínima ideia do que seja e receio que essa não seja uma boa hora para perguntar. Levei-a para meu pai e guardei o medalhão no bolso. 
                                                      *** 
 De acordo com os cálculos do meu pai, a máquina só precisava de alguns pequenos ajustes e estaria pronta. Ainda me pergunto como é que isso funcionaria. Iríamos para o futuro, dávamos uma olhadinha e voltaríamos? Será que vivos? Inteiros? Ninguém sabe. A única coisa que meu me contou foi que entraríamos nessa cabine telefônica (já que você não está aqui para ver, pense naquelas cabines que Londres escrito “Telephone”, talvez seja parecido.), e rapidamente estaríamos tanto no futuro como no passado. Porém, não podemos mudar nada, afinal se eu encontrasse com meu “outro pai” na rua e fizesse ele não gostar da minha “outra mãe”, eu viraria pó, ou seja, deixaria de existir. E isso me deixou completamente assustada. Aproximadamente três horas se passam e continuamos na mesma, meu pai trabalhando e eu buscando coisas. Já deixei milhões de coisas caírem no meu pé milhares de vezes e acredite ou não, isso foi o mais emocionante que me aconteceu.

 Aproximadamente três horas se passam e continuamos na mesma, meu pai trabalhando e eu buscando coisas. Já deixei milhões de coisas caírem no meu pé milhares de vezes e acredite ou não, isso foi o mais emocionante que me aconteceu.
 Antes que você pergunte sobre minha mãe, já vou logo avisando que ele gosta muito de viajar. Então logo que ficou sabendo da “brilhante ideia” de viajar através do tempo, resolveu ir “viajar” de verdade para a Austrália. E também aqui em São Francisco não é muito legal, mas tudo bem. Gosto de morar aqui.
 Mais uma hora se passa e por um milagre meu pai diz:
_FINALMENTE! Só preciso ligar umas coisinhas e...
BUUM! Uma luz azul irradiou da cabine telefônica, nos fazendo colocar os óculos.
_Filha, nós conseguimos!
_Conseguimos é? –Digo sem entusiasmo e com medo.
_Sim! Vamos viajar no tempo!
_Que legal!
_Você vem comigo não é filha?
Eu queria dizer que isso era loucura e que eu não iria, mas ele esta tão feliz e não é sempre que meu pai fica assim.
_Mas é claro que vou!
_Ótimo, então pegue suas coisas e me encontre aqui embaixo. Não leve muito, só o essencial, porque estaremos de volta semana que vem.
_Ok papai!
_Essa será a viagem do século. –Diz ele enquanto subia as escadas pulando de alegria, literalmente.
 Uma semana nem é tanto tempo assim. Porém, tenho a impressão de que não iremos levar somente uma semana para ir e voltar. Provavelmente não iremos voltar. E essa sim, será a viagem do século.


Deixe um comentário