Por: Franco Gomes

  Falar de um livro como Extraordinário é um pouco complicado, pelo menos pra mim. O que eu senti lendo o livro é difícil expressar em palavras...
 Auggie é um menino que tem uma rara doença que fez com que ele nascesse com o rosto deformado, no livro é definido como o “milagre da medicina”. Essa rara doença genética atinge 1 em 4 milhões de pessoas e logo ele foi escolhido.
  Você acompanha o quão difícil é uma criança que nunca frequentou a escola, que estudou em casa com a mãe, ir para uma escola, onde você não conhece ninguém e não sabe qual vai ser a reação das crianças ao te ver. Se para uma criança normal é estranho, imaginem para Auggie que, querendo ou não tem um rosto que não é agradável aos olhos de quem não conhece e até de quem o conhece.
  No livro há várias críticas sociais, uma delas bem notável é o preconceito, e nós percebemos o quanto o ser humano pode ser insensível, preconceituoso, nojento e o contrário também vale, percebemos o quanto o ser humano pode ser bom, generoso e o quanto podemos amar alguém. Auggie me ensinou tanta coisa, ele diz tanta coisa impactante e inteligente, e que nos surpreende por ser apenas uma criança, mas uma criança que já passou por tanta coisa, que já batalhou tanto por sua vida, e consequentemente dá um tapa na cara de muita gente, que não passou nem metade do que ele passou, mas que tem a cara de pau de reclamar a Deus por qualquer besteira.
  Como eu sou bem chorão, houveram momentos no livro em que derramei algumas lágrimas, mas foram lágrimas de felicidade, surpresa... Dei risadas também. Enfim, senti um mix de emoções amei esse livro. Recomendo á todos.

TítuloExtraordinário
Autor (a): R.J. Palácio
Ano de lançamento: 2013
Editora: Intrínseca 
Compre: Submarino | Saraiva | Cultura | Fnac




Deixe um comentário