Movimentos feministas crescem pelo país e ganham força nas redes sociais


 De cara pintada e munidas de cartazes, faixas e bandeiras, as mulheres cobriram as ruas do país na última semana. As vozes, que ecoavam gritos de ordem, faziam referência ao direito da mulher perante o seu próprio corpo e vida. Dispostas a enfrentar o projeto de lei 5069, levantado pelo deputado Eduardo Cunha, as mulheres jovens, negras, estudantes, trabalhadoras, mães, filhas e muitas outras se uniram em um movimento que há muito não era observado.

 Recentemente, a Belas-Letras publicou dois livros que trazem como protagonistas mulheres de garra. Jessica Watson, em Destemida, narra a sua corajosa empreitada que, para muitos, era tida como fracasso. Aos 16 anos, ela foi a primeira pessoa a dar a volta ao mundo sozinha e sem assistência dentro de um barco. De acordo com Jessica, “muitas pessoas pensam ‘eu não conseguiria fazer isso’, mas porque não mudar o pensamento para ‘o que eu preciso fazer para chegar lá?’”.

Susannah Cahalan é outro exemplo de mulher destemida. Em Insana: meu mês de loucura, que em 2016 colorirá as telas do cinema, acompanhamos a luta da jornalista contra uma doença rara. Ao enfrentar o medo e a dor das lembranças, Susannah levou maiores informações sobre a Encefalite autoimune de receptor anti-NMDA para possíveis portadores da doença por meio de seu livro.



 Outros posts:






Deixe um comentário