"Eu precisava de alguém que me dissesse que tudo ficaria bem [...]"


Sinopse: "Uma jovem jornalista com uma carreira promissora em Nova York se vê aprisionada em sua própria insanidade com uma doença que nenhum médico consegue diagnosticar. A rotina no jornal onde ela trabalha é substituída por inexplicáveis alucinações, surtos e ataques de paranoia – os mesmos sinais atribuídos a casos de possessão. Poderia se tratar de um episódio de House, mas é a história de Susannah Cahalan, que escreve com impressionante riqueza de detalhes o período de terror em que se transforma em desconhecida para si mesma e seus familiares. Sem poder contar com a memória para escrever sua reportagem mais difícil, Susannah recorre aos próprios rascunhos do período em que esteve doente, além de relatos de médicos, familiares, namorado e documentos para construir um drama psicológico sobre os caminhos misteriosos e assustadores do nosso próprio cérebro."


 Narrada pela nova Susannah, Insana nos apresenta uma doença cruel que afeta uma pessoa aparentemente sem culpa disso.


Susannah está no que podemos chamar de "fase boa" de sua vida: tem um trabalho ótimo, um apartamento e um namorado incrível. No entanto, a partir de uma "picada" ou de um espirro, acredita ela, a jovem jornalista começa a se sentir diferente, com dores de cabeça e no corpo, dormência, dificuldade em enxergar as coisas como realmente eram e coisas do tipo. No trabalho, seu desempenho não era mais o mesmo, e ficava cada vez mais difícil se concentrar em algo. Susannah já não se sentia a mesma, e as coisas só pioravam. 

 Após procurar diversos médicos e realizar diversos exames, ela não tinha nenhum resultado concreto em mãos. Cada um deles apontava para uma direção, e Susannah se encontrava perdida. Para piorar, seus surtos se tornaram mais frequentes e sérios, até que foi internada em um hospital, onde seria diagnosticada, mais tarde, com uma rara doença. 

 Durante seu mês no hosítal, a situação piorou muito, e ninguém via uma solução. E não seria fácil conviver com isso. No entanto, todos acreditavam que a velha Susannah ainda estava ali e voltaria. Ela melhoraria e voltaria para casa. E, para isso, precisaria de um milagre...

"Ninguém quer ver a si mesmo como um monstro."


 A obra é divida em três partes: parte um - louca, onde conhecemos os primeiros sintomas da doença; parte dois - o relógio, quando o mês de loucura de Susannah tem início; e parte três - em busca do tempo perdido, quando acompanhamos sua 'recuperação'.

 A história em si é triste, claro, já que se trata de uma doença cruel, que aos poucos vai destruindo a vida de uma pessoa. Durante o tempo em que passou no hospital, Susannah não tinha cem por cento de consciência sobre o que acontecia, mas estava ali. Ninguém sabia se ela voltaria para casa, se voltaria a ser quem era ela e muito menos se descobriria o que ela tinha. Diversos médicos tornaram a visitá-la, aplicando diversos testes e exames, mas sem nenhum resultado. Por sorte (e, dependendo da sua fé, por Deus), um homem que ama o que faz aparece para ajudá-la. E, se existe alguém que merece palmas por seu trabalho, esse alguém é Dr. Najjar, uma das melhores coisas que poderiam ter acontecido para ela.

 Além de toda a dor que Susannah e, principalmente aqueles que a conheceram antes a viam naquele estado, seus pais e familiares sentiram, percebemos a sorte que ela tem, pois a maioria das pessoas com a doença não possuem um diagnóstico ou, quando possuem, ele está errado (um número muito grande por sinal), e ela não. Susannah teve o apoio de pessoas que a amavam, pessoas que ficaram do lado dela e conseguiu bancar tudo. Não sabemos porque ela contraiu a doença, mas sabemos o mal que ela faz e como tentar recuperar o que era antes. Não sabemos, também, se ela vai voltar, o que pode acontecer. Mas, por enquanto, ela pode viver e ajudar outras pessoas com o mesmo problema.



 Para escrever o livro, Susannah teve de recorrer à lembranças de familiares e amigos, seu namorado, anotações que fez e filmagens do hospital, pois após a doença, suas lembranças e sua vida em si já não eram mais as mesmas. E, afinal, quanto da antiga Susannah voltaria? Quanto de sua antiga vida ela teria de volta? 

Insana - Meu Mês de Loucura é um drama psicológico que merece o seu tempo.



"Ás vezes, a vida embrulha metáforas em caixas de presente justo quando mais precisamos. Quando pensamos que tudo está perdido, as coisas de que você mais precisa ressurgem de maneira inesperada."


Título: Insana - Meu Mês de Loucura 

Autor: Susannah Cahalan

Páginas: 300

Editora: Belas-Letras

Nota: ★★★★

Outros posts sobre:


O mês de loucura de Susannah Cahalan





~ ~ ~ ~ ~ ♪♫ ~ ~ ~ ~ ~ 

Siga o Você é tão Livro por ai:




Por Flávia Bergamin


Um Comentário

  1. Oii
    Adorei a resenha. Estou com o livro aqui para ler e você me convenceu a ler o mais rápido possível.
    Adoro dramas psicológicos e acho que vou adorar.
    bjs

    http://www.entrepaginasesonhos.com.br/

    ResponderExcluir