(c) culturaproximaleitura




 Livro que deu origem ao filme Me and Earl and the Dying Girl, vencedor nas categorias Público e Crítica do Festival Sundance 2015, Eu, você e a garota que vai morrer é da Editora Rocco, pelo selo de entretenimento, Fábrica231. Assinado pelo norte-americano Jesse Andrews – também roteirista do filme –, o romance rendeu ao autor diversos prêmios de literatura juvenil, incluindo o de melhor ficção para jovens adultos da Young Adult Library Services Association. 

Conheça a trama:

 Greg Gaines é socialmente invisível, Earl Jackson vem de um lar desajustado e Rachel Kushner tem câncer, mas Eu, você e a garota que vai morrer está longe de ser mais um dramalhão lacrimoso. Subvertendo clichês, o autor Jesse Andrews oferece um romance de formação que, com um estilo pop e original, consegue juntar irreverência e sensibilidade ao tratar dessa coisa maluca chamada morte.
 Manter-se alheio a grupos e tribos é a estratégia de sobrevivência adotada por Greg em meio à caótica fauna adolescente – e são poucos os gordinhos que, como ele, conseguem chegar incólumes ao último ano da escola. Sua única companhia razoavelmente constante durante esse tempo tem sido Earl, o baixote de boca suja ao lado de quem descobriu um tesouro dentro de casa: a coleção de DVDs do pai. Desde que se depararam com a expressão insana do ator Klaus Kinski na foto da capa de Aguirre, a cólera dos deuses, os dois vêm assistindo a centenas de filmes e produzindo juntos suas próprias versões dos preferidos (muitas vezes estreladas por Cat Stevens, o gato da família).
 Quando Rachel, uma colega de classe, é diagnosticada com leucemia, Greg se vê obrigado a repensar os conceitos de sua calculadamente minimalista vida social. Porque sua mãe, cuja especialidade é vencer qualquer duelo verbal, acha que ele deve se aproximar da menina para tentar fazê-la se sentir melhor durante o tratamento. Assim, após constrangedores momentos de silêncio e piadinhas nervosas de gosto duvidoso, o rapaz descobre que os vídeos toscos realizados em parceria com Earl, aqueles que eles haviam jurado jamais mostrar a alguém, são a maneira mais eficaz de levar um pouco de alegria ao dia a dia de Rachel.
 O que surge a partir daí, no entanto, não é uma história de amor e superação capaz de desafiar as forças da natureza – pelo contrário: Eu, você e a garota que vai morrer aborda questões como perda e amadurecimento por meio de uma narrativa realista, sincera e engraçada. Como uma espécie de O apanhador no campo de centeio da geração Z, o romance mergulha fundo na alma dos jovens para criar uma voz que tem o poder de cativar leitores de todas as idades.





 Misturando animação e live-action, o longa,dirigido por Alfonso Gómez Rejón, conquistou crítica, público e júri do Sundance ao fugir de fórmulas clichês na apresentação da história de um jovem nerd socialmente invisível, Greg, que sai do casulo, ao se aproximar de uma colega de turma que sofre de leucemia, por incentivo da mãe. O romance original, lançado nos Estados Unidos em 2012, rendeu a Jesse Andrews comparações a autores bestsellers como John Green, mas, afirma a Kirkus Review, se destaca por si só em termos de inventividade e humor.



A adaptação teve direitos adquiridos pela Fox, mas ainda não tem previsão de data de estreia no Brasil.


Adquira o livro!




Um Comentário

  1. Oi Flávia!

    Vejo muita gente falando sobre o livro, que tem uma capa linda e um título super chamativo, mas o filme não é tão comentado. Na verdade, até pouco tempo atrás eu nem sabia que ele existia, mas quero muito assistir.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir