O projeto Compre um livro, Doe um livro da Editora Belas-Letras entregou as suas primeiras doações.

Em dezembro e janeiro, São Paulo e Pernambuco foram os destinos de diversos livros que passaram a fazer parte do acervo de projetos culturais de incentivo à leitura.

Foto: Paulo Henrique Pampolin


Desapego é a palavra-chave no vocabulário da pequena Giovanna Pampolin. Conhecida como "A menina que doava livros", a pequena de 9 anos recebeu neste mês doações da campanha Compre um livro, doe um livro, política permanente de incentivo à leitura criada pela Belas-Letras no final de 2015.

Com cartazes feitos à mão, Giovanna se dirige para o Minhocão (SP) todos os domingos, acompanhada do pai. Lá, ela expõe livros usados e os doa para quem estiver passando pela rua.

Há cerca de um ano, a menina levantou a ideia em casa. "Tenho diversos livros na estante que já li, será que podemos doá-los?", idealizou.








 Uma carcaça de geladeira com o prazo vencido, destinada ao ferro velho, ganhou um novo fim em Olinda (PE). Com um pote de tinta e alguns pincéis, o idealizador do projeto Geladeira Cultural, Sérgio Santos, transformou o equipamento em um armário cultural. As prateleiras e o congelador ganharam livros e as geladeiras grafitadas foram espalhadas em comunidades da cidade. 
“Essa geladeira continua cumprindo sua função, nela são guardados os ingredientes que podem saciar a fome das pessoas. Só que agora ela está saciando a fome literária e a dos sonhos”, comenta Sérgio.
A Geladeira Cultural foi o primeiro projeto ajudado pelo Compre um livro, doe um livro.





Por Flávia Bergamin


Deixe um comentário