Sinopse:  Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.  



“- Você está pronto?
  - Pra quê?

  - Pro futuro, porque acho que ele acaba de começar”



 A estória é dividida entre dois narradores: um capítulo é narrado por um Will e logo em seguida pelo outro. De um modo muito irônico, os dois se encontram, conversam e fazem uma amizade. É confuso até o momento em que os dois se encontram, pois apesar de serem duas histórias, não fica muito claro que a narração é intercalada -pelo menos eu não achei e cheguei a pensar que a história tinha algumas incoerências.


 Os dois Wills são surpreendentemente sinceros e francos, o que dá um ar levemente E dolorosamente engraçado. Durante o livro, há frases e trechos que eu gostei bastante, carregadas de sarcasmo, em relação a sexualidade, romance, música e até um pouco de física (ou seria química?). 



“Eu dando conselho romântico à minha mãe é meio como um peixinho de aquário dando conselho a uma lesma sobre como voar.”



 Já li outros livros do John Green, então me empolguei muito quando vi seu nome na capa (quase me esqueci que Levithan também o escreveu) e por fim, achei um pouco decepcionante. A história em si  é um pouco chata, mas adorei vários trechos.



“É por isso que chamamos as pessoas de ex, acho - porque os caminhos que se cruzam no meio acabam se separando no fim. É muito fácil ver esse X como uma anulação. Mas não é, porque não tem como anular uma coisa assim. O X é um diagrama de dois caminhos”




Ficha técnica:

Título:  Will&Will - Um Nome, Um Destino

Autor: John Green e David Levithan

Editora: Galera Record

Páginas: 352

Livro único

Gênero: Literatura Estrangeira e Romance 

Nota: ★★★








Por Iza Scofield
Resenhas