Joseph Trapanese, nome que está presente em filmes como Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1, Annie, Oblivion, Percy Jackson e o Ladrão de Raios, Velozes & Furiosos 5, Jogo de Amor em Las Vegas, Transformers: A Era da Extinção, na série Dexter e Divergente (algo pequeno e não foi creditado), será compositor da trilha sonora de Insurgente, segundo filme da série Divergente!

 Trapanese revelou exclusivamente que está com grandes ideias para a sequência do filme. Confira a entrevista!

HitFix: Conte-nos tudo sobre “Insurgente”. É uma grande oportunidade pra você. 

Joseph: É um grande passo pra mim, em termos de produzir o score de uma franquia de filmes sozinho. É emocionante entrar numa mitologia que vai durar por muitos filmes, trabalhar com um mundo criado nesses filmes… ser parte de uma franquia como esta. Eu já tinha lido os livros para o primeiro filme, e o script, e trabalhei com as musicas do M83 e da Ellie Goulding para a trilha sonora. 


HitFix: Como “Insurgente” será diferente do primeiro filme? 
Joseph: Vai conectar o mundo do filme e a mente da Tris. O primeiro filme foi todo sobre Beatrice se tornando a Tris, vindo de uma comunidade pacífica e se tornando essa guerreira. Nesse filme, ela se tornou uma lutadora, mas obviamente tem um conflito maior acontecendo. Nós entramos num mundo que é mais do que o foco na jornada de uma garota, e agora, estamos vendo esse mundo de uma forma bastante diferente. Nós crescemos nessa sequência. É um conceito maior.
 O primeiro filme teve muitas músicas, músicas de artistas como Woodkid e Ellie Goulding. Isso deu ao filme algo para se agarrar, que realmente te leva pra dentro da história. Nesse filme, tem muito mais perigo e muita coisa em jogo. Nós descartamos a trilha sonora baseada em músicas e confiamos mais no score. O score é mais intenso e mais sombrio.


HitFix: Mas você ainda vai trabalhar com convidados e artistas? 
Joseph: Teremos que esperar pra ver. Eu não só não posso falar disso agora, como ainda não terminei o score. Nós preenchemos por volta de 2/3 à 3/4 do filme, e estamos prestes a entrar na reta final. Com o cinema digital, tudo pode ser mudado, o que é uma coisa boa e ruim.

HitFix: É legal ser o único compositor?
Joseph: É um trabalho em equipe produzir o score para um filme como esse. É sempre emocionante produzir um score, ponto. Mas eu sou o compositor solo, é um grande desafio.

Fonte #
Tradução: Divergente Brasil

Por Flávia Bergamin
Newsposter


Deixe um comentário